Um Sublime Peregrino

"É indispensável manter o Espiritismo, qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista a poderes terrestres transitórios." Bezerra de Menezes (Mensagem "Unificação", psicografia de Francisco Cândido Xavier - Reformador, agosto 2001)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

TEU DESTINO



Embora sofras, não pertences ao sofrimento.
Assim como o rio corre para o mar, tua vida segue o curso natural rumo à plenitude junto a Deus. É possível que, agora, experimentes a aflição, como pesados calhaus tentando barrar-te o fluxo para a felicidade.
Deixa-te levar pela correnteza suave da fé, contornando-os sem alarde, a fim de retomares a direção da paz a que estás destinado.

SCHEILLA

Médium: Clayton B. Levy, do livro “NOVAS MENSAGENS DE SCHEILLA PARA VOCÊ"


Feliz Ano Novo para todos!

ORAÇÃO E VIGILÂNCIA


O homem respeitoso, que curva o corpo no arado e sulca o seio virgem da terra, ora, porque arando está também orando.

A mulher, que se ergue e, tomando das mãos do pequenino, condu-lo através da experiência do alfabeto, ora, porque ensinar é orar.

O jovem, que renuncia à comodidade do prazer e oferece suas horas ao ministério sacrossanto da enfermagem, ora, porque atender à dor alheia é também orar.

O homem, que empreende a luta pela aquisição honesta do pão que lhe honra a estabilidade doméstica, ora, porque no cumprimento dos deveres morais também se está em prece.

Quem, buscando a fonte generosa, distribui água refrescante, ora, porque matar a sede do aflito é também orar.

Há, entretanto, fora do trabalho, uma forma diferente de orar.

A natureza é um templo, no qual o coração se faz altar, convidando o ser à comunhão com a vida.

Todo aquele que, depois da prece-ação, continua sentindo sede interior de paz, abandone, por momentos, o tumulto do mundo e mergulhe as antenas mentais no oceano de magnificentes cores da Natureza e repita no imo, em murmúrio, a oração dominical, para receber da Divindade alento e força para a jornada na qual, muitas vezes, o coração desfalece enfraquecido. Ouvirá, então, no interlóquio, a voz do Senhor, mantendo com a alma ansiosa um diálogo e colocando uma ponte no abismo que a separa do Criador.

*

A boca, na disputa verbalista, que é tentada ao revide e silencia, humilde, vigia, porque calar uma ofensa e repetir um pequeno curso de vigilância.

A mão que, em se levantando para apontar um ofensor, na via pública, dobra-se reverente, quedando-se caída, vigia, porque não acusar é exercer vigilância em si mesmo.

A alma, que despedaça a cólera aninhada no coração e que antes se dispunha a saltar perigosa sobre o agressor ao seu alcance, vigia, porque perdoar o crime é colocar-se em vigília.

Os dedos nervosos, que ao tomarem da pena para escrever um libelo, no qual em se defendendo acusam, indo, inadvertidamente, cometer o mesmo erro, mas, no justo momento do revide, espalma a mão sobre o papel alvo, conferindo ao tempo a oportunidade de esclarecimento, vigia, porque não revidar golpe com golpe é exercitar a experiência da vigilância.

Há, ainda, uma vigilância pouco exercitada e recomendada pelo Senhor, que é aquela que convida o crente a conduzir a alma de tal maneira, que não se deixe contaminar pelo veneno do mundo, mesmo quando os fortes elos das tentações se unirem em cadeia vigorosa, ameaçando despedaçar a atividade das boas intenções.

Está alguém entre vós aflito? - indaga o apóstolo Tiago - Ore!

E o Divino Mestre recomenda: Vigiai e orai, para não cairdes em tentação.

Vianna de Carvalho

(Do livro "A prece segundo os Espíritos" - Divaldo P. Franco - Espíritos diversos)

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Prece: Estrelas




Estrelas...




Senhor:ante o céu estrelado,que nos revela a tua grandeza,


deixa que nossos corações se unam à prece das coisas simples...


Concede-nos, Pai,


A compaixão das árvores,


a espontaneidade das flores,


a fidelidade da erva tenra,


a perseverança das águas que procuram o repouso nas profundezas,


a serenidade do campo,


a brandura do vento leve,


a harmonia do outeiro,


a música do vale,


a confiança do inseto humilde,


o Espírito de serviço da Terra benfazeja,


para que não estejamos recebendo,em vão, Tuas dádivas,


e para que o Teu Amor resplandeça no centro de


nossas vidas, agora e sempre.


Assim seja




EMMANUEL


livro: Antologia da Criança


Psicografia: Francisco Cândido Xavier

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Feliz Natal


Obrigada Maria Josè, para você também e sua mensagem valeu um post. beijos fraternos.

Nesta época em que todos nós nos tornamos mais sensíveis, dediquemo-nos à reflexão sobre nossos compromissos com Ele, que ofereceu-se ao sacrifício por amor a nós.
Natal é um precioso momento de agradecer a benção de estar vivo!
Momento de agradecer por todas as nossas conquistas!
Momento de entendermos também os nossos fracassos!
Momento de compreender o poder que está dentro de nós!
Momento de sonharmos com o nosso futuro!
Que saibamos transformar tudo em uma boa experiência!
Que saibamos olhar o outro e o mundo com generosidade!
Agradeçamos pela vida, pelo que foi possível e pelo que não foi possível de ser realizado em 2009.
Agradeçamos pelos que estão perto de nós, com os quais compartilhamos a vida, o trabalho, a dor, a alegria, os blogs.
Abramos espaços em nossos corações e deixemos que o Menino Jesus faça dele a sua morada e realize em nossas vidas seu plano de amor.
Que você vibre com alegria em todos os momentos e que neles esteja sempre presente o Amor!
Feliz Natal e um 2010 recheado de alegrias.

Maria José
Blog Arca do autoconhecimento

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Selinho: O que você deseja neste Natal?

Recebi este mimoso selinho do amigo Unkno do blog Estudando o Espiritismo.
Este é um Meme de Natal, onde o Papai Noel pergunta o que você deseja neste Natal.
É simples é só seguir as regras:

1- Postar o Selo.
2- Dizer quem te enviou.
3- Os seus 3 desejos de Natal.
4- Indicar 12 blogs que você goste muito.

Meus 3 desejos são:

1. PAz Mundial.
2 . Salvar nosso planeta da destruição
3. Amor, harmonia e fraternidade para todos

Como sempre estou atrasada para indicar os blogs, pois a maioria dos blogs que eu conheço já receberam o sêlo, por isso se estou repetindo desconsiderem a oferta e muita paz para todos!!!

Irmão Fraternos e Fazendo a diferença.
Arca do Autoconhecimento
Fazendo meu caminho
Jovens do Além
Ninguém na Multidão
Doutrina espírita
Saiba História
Por uma vida melhor

Vá com Deus!


Vá com Deus
Atrasado, Chico Xavier seguia apressado para o serviço.
Ao passar pela residência da senhora Alice, frequentadora do Centro, ela veio ao seu encontro:
- Chico, estou esperando por você para pedir-lhe uma explicação.
- Desculpe, Dona Alice. Agora não posso. Conversaremos depois.
Mal dera alguns passos, apareceu Emmanuel:
- Volte, Chico, atenda à nossa irmã. Gastará apenas alguns minutos que não irão prejudicá-lo.
O médium obedeceu, como sempre.
A senhora queria saber como tomar determinado remédio homeopático que, por seu intermédio, o Doutor Bezerra de Menezes lhe receitara.
Atendida a solicitação, o médium apressou o passo, enquanto ela agradecia, sensibilizada:
- Deus lhe pague, Chico! Vá com Deus!
Mal dera alguns passos, Emmanuel reapareceu.
- Olhe para trás.
O médium voltou-se.
Observou, surpreso, fluidos luminosos que saíam da boca de Dona Alice.
Vinham em sua direção, proporcionando-lhe agradável sensação.
- Percebeu, Chico, o resultado, quando nos dispomos a servir? Imagine se, ao invés de vá com Deus, ela dissesse, magoada, vá com o diabo! Sairiam coisas diferentes de seus lábios.
***
Exercitamos, em nossa mente, duas funções de suma importância, que guardam correspondência com aparelhos usados em radiofonia:
- Transmissor.
Emitimos vibrações que se expandem ao nosso redor, atingindo as pessoas com as quais convivemos, exprimindo nossos sentimentos por elas.
- Receptor.
Acontece o inverso. Captamos suas vibrações, exprimindo os sentimentos que nutrem por nós.
Assim, influenciamos e somos influenciados por esses mecanismos sutis, sem que o percebamos.
Muito de nossos estados de ânimo, envolvendo sensações de tristeza ou alegria, euforia ou depressão, idéias positivas ou negativas, tem origem nessa permuta íntima:
- Disciplinar a mente.
Cultivar pensamentos positivos, sem jamais vibrar negativamente contra pessoas ou situações no cotidiano.
- Cultivar espírito de serviço.
A disposição de ajudar o próximo, fazendo por ele todo o bem que gostaríamos de receber, conforme ensinou Jesus, conquistará simpatia. Assim, seremos sustentados psiquicamente, por um manancial de vibrações positivas, emitidas pelos beneficiários de nossas ações.
Com tais iniciativas, ainda que eventualmente enfrentemos vibrações negativas de quem não concorde com nosso modo de ser ou nutra sentimentos de antipatia e animosidade por nós, estaremos resguardados pelas abençoadas energias do Bem.
(Fonte: Rindo e Refletindo com Chico Xavier, de Richard Simonetti).

domingo, 6 de dezembro de 2009

Calma (2)


Meus irmãos muita paz para todos. As mensagens referentes a Calma foi tema de uma situação que eu passei na sexta-feira. A palestrante da noite no nosso grupo faltou e a dirigente dos trabalhos me deu a mensagem Calma para o êxito de Joana de Angeles e pediu para que fizesse o comentário da noite. Vocês não imaginam o quanto eu fiquei nervosa e o tema era CALMA, respirei profundamente e realmente me acalmei.
A calma, como diz as mensagens, é necessária em todas as situações da nossa vida, muitas vezes difícil de conseguir em um momento de aflição, mas a calma é exercício, podemos conquistá-la através da meditação, da oração e da fé.
A pessoa que é calma por natureza já tem a certeza de que tudo vai dá certo, vai correr bem e não teme nada de ruim, confia em Deus e sabe que tudo tem razão de ser e que nenhum acontecimento é obra do acaso, tudo tem um motivo seja nesta existência ou em existências passadas.
Meus irmãos a calma não faz parte do meu emocional, muitas vezes eu sofro por antecipação, justamente por não conseguir acalmar meu coração. Mas eu estou aprendendo a conquistá-la através da oração. Aprendendo a ter fé em Deus e confiar nos meus amigos espirituais, aprendendo para evoluir, para crescer espiritualmente, porque ainda me sinto criança precisando de colo de mãe, engatiando e balbuciando as primeiras palavras.
Um Senhor( lá no grupo que participo) criticou as pessoas que são espíritas que ainda não amadureceram para muitas coisas da vida, que tem medo de tudo, inclusive da morte, porém, na minha humilde posição de aprendiz, acredito que essas pessoas já estão dando o primeiro passo em direção ao amadurecimento, já reconhecem (assim como eu) o medo, a impaciência, e tentam de todas as formas burilar o interior, perdendo estes sentimentos que estão enraizados no nosso ser, desde longínquas encarnações. E espero que nesta minha existência eu consiga de alguma forma possui-la nem que seja em um grau pequenino.

Muita Paz para todos!

Mara

Calma


Se você está no ponto de estourar mentalmente, silencie alguns instantes para pensar.

Se o motivo é moléstia no próprio corpo, a intranqüilidade traz o pior.

Se a razão é enfermidade em pessoa querida, o seu desajuste é fator agravante.

Se você sofreu prejuízos materiais, a reclamação é bomba atrasada, lançando caso novo.

Se perdeu alguma afeição, a queixa tornará você uma pessoa menos simpática, junto de outros amigos.

Se deixou alguma oportunidade valiosa para trás, a inquietação é desperdício de tempo.

Se contrariedades aparecem, o ato de esbravejar afastará de você o concurso espontâneo.

Se você praticou um erro, o desespero é porta aberta a faltas maiores.

Se você não atingiu o que desejava, a impaciência fará mais larga a distância entre você e o objetivo a alcançar.

Seja qual for a dificuldade, conserve a calma, trabalhando, porque, em todo problema, a serenidade é o teto da alma, pedindo o serviço por solução.

Autor: André Luiz
Psicografia de Chico Xavier

Calma para o Êxito


Em todos os passos da vida, a calma é convidada a estar presente.
Aqui, é uma pessoa tresvairada, que te agride...

Ali, é uma circunstância infeliz, que gera dificuldade...

Acolá, é uma ameaça de insucesso na atividade programada...

Adiante, é uma incompreensão urdindo males contra os teus esforços...

É necessário ter calma sempre.

A calma é filha dileta da confiança em Deus e na Sua justiça, a expressar-se numa conduta reta que responde por uma atitude mental harmonizada.

Quando não se age com incorreção, não há por que temer-se acontecimento infeliz.

A irritação, alma gêmea da instabilidade emocional, é responsável por danos, ainda não avaliados, na conduta moral e emocional da criatura.

A calma inspira a melhor maneira de agir, e sabe aguardar o momento próprio para atuar, propiciando os meios para a ação correta.

Não antecipa, nem retarda.

Soluciona os desafios, beneficiando aqueles que se desequilibram e sofrem.

Preserva-te em calma, aconteça o que acontecer.

Aprendendo a agir com amor e misericórdia em favor do outro, o teu próximo, ou da circunstância aziaga, possuirás a calma inspiradora da paz e do êxito.


Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Amor


EM MATÉRIA AFETIVA

Sempre é forçoso muito cuidado no trato com os problemas afetivos dos outros, porque muitas vezes os outros, nem de leve, pensam naquilo que possamos pensar.
Os Espíritos adultos sabem que, por enquanto, na Terra, ninguém pode, em sã consciência, traçar a fronteira entre normalidade e anormalidade, nas questões afetivas de sentido profundo.
Os pregadores de moral rigorista, em assuntos de amor, raramente não caem nas situações que condenam.
Toda pessoa que lesa outra, nos compromissos do coração, está fatalmente lesando a si própria.
Respeite as ligações e as separações, entre as pessoas de seu mundo particular, sem estranheza ou censura, de vez que você não lhes conhece as razões e processos de origem.
As suas necessidades de alma, na essência, são muito diversas das necessidades alheias.
No que tange a sofrimentos do amor, só Deus sabe onde estão a queda ou a vitória.
Jamais brinque com os sentimentos do próximo.
Não assuma deveres afetivos que você não possa ou não queira sustentar.
Amor, em sua existência, será aquilo que você fizer dele.
Você receberá, de retorno, tudo o que der aos outros, segundo a lei que nos rege os destinos.
Ante os erros do amor, se você nunca errou por emoção, imaginação, intenção ou ação, atire a primeira pedra, conforme recomenda Jesus.


André Luiz

o amor


Se você usou de todo esclarecimento possível, mas inutilmente, trate a questão na Base do Amor.
O amor é o sentimento que sempre resolve porque toca por dentro.
Amando, ouvindo as razões e jamais se encolerizando, você consegue chegar a consciência, ao íntimo humano e obter transformações até mesmo além do esperado.
Faça sua amorosidade vibrar na voz, no olhar, nos gestos. Aquiete-se quando não for compreendido ou se refugie na oração. A oração faz o que nada e ninguém mais consegue fazer
Não guarde mágoas.
O problema perde força quando encontra o amor.

Obs: recebi por e-mail e se não estou enganada é do livro Otimismo em Gotas

Tudo é amor


Vida
É o amor existencial.
Razão
É o amor que pondera.
Estudo
É o amor que analisa.
Ciência
É o amor que investiga.
Filosofia
É o amor que pensa.
Religião
É o amor que busca a Deus.
Verdade
É o amor que eterniza.
Ideal
É o amor que se eleva.

É o amor que transcende.
Esperança
É o amor que sonha.
Caridade
É o amor que auxilia.
Fraternidade
É o amor que se expande.
Sacrifício
É o amor que se esforça.
Renúncia
É o amor que depura.
Simpatia
É o amor que sorri.
Trabalho
É o amor que constrói.
Indiferença
É o amor que se esconde.
Desespero
É o amor que se desgoverna.
Paixão
É o amor que se desequilibra.
Ciúme
É o amor que se desvaira.
Orgulho
É o amor que enlouquece.
Sensualismo
É o amor que se envenena.
Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do amor, não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.

Declaração de Afeto


Recebi dos amigos Unknow e da Treza Cristina, obrigada pelo carinho, muita paz e amor nos corações de vocês e de todos os meus amigos
Escolher dez amigos para declarar a nossa amizade e nomeamos num post.

Cada um deverá nomear até 10, e assim sucessivamente.

Não há selos ou prêmios, apenas a nossa declaração de afeto.

E a minha declaração sincera de afeto vai para:

Cristina - Imãos Fraternos

Maria José - Arca do Autoconhecimento

Julimar - Por uma vida melhor

JR - jovens do além

E a todos que são amigos anônimos, que estão sempre aqui lendo e me incentivando a continuar a postar, com carinho para todos.

sábado, 28 de novembro de 2009

Notícias

Jornal Extra online
Publicada em 27/09/2009 12:47
Mistérios durante as gravações do filme sobre a vida de Chico Xavier
Patricia de Paula, Expresso
Cena do filme sobre a vida de Chico Xavier - Foto: Divulga?o/ Ique Esteves
As gravações do filme sobre a vida do médium Chico Xavier foram marcadas por vários casos que, certamente, são uma história a parte. As filmagens tiveram uma atriz vendo o médium, figurante incorporando um espírito e outros mistérios, como a chuva que parava misteriosamente a cada novo dia de gravação. Nelson Xavier, ator que interpreta o papel principal, conta que sua ligação com Chico foi muito além do sobrenome igual.
- Eu senti a presença dele o tempo todo. Foi o único personagem que eu pedi para fazer e, hoje, acredito em tudo o que ele disse e viveu. Cada vez que penso nele me comovo - disse Nelson, se emocionando novamente.
O ator lembra que, há muitos anos, estava num churrasco quando um rapaz sentou ao seu lado e perguntou se eu ia fazer o papel do espírita.
- Eu disse que não. Aí ele me respondeu que um passarinho havia dito isso para ele e que ele era espírita. Esse foi um dos sinais mais significativos para mim - diz Nelson, que acredita que Chico o escolheu: - Ele me acompanhou durante todo o percurso.
Segundo a atriz Renata Imbriani, que participou das filmagens, Chico realmente estava perto de Nelson. Ela, que é kardecista, conta que viu o espírito do médium durante uma gravação.
- Estava aguardando a minha vez de entrar em cena e o Nelson estava gravando. De repente, vi uma porta entreaberta de onde saiu uma luz muito grande. Era o Chico. Ele apoiou o braço direito do Nelson e ficou todo o tempo energizando ele. O incrível é que, quando ele toca o Nelson ele fica até com a fisionomia igual a do Chico - conta Renata que interpreta uma mulher que perdeu o filho.
Segundo a atriz Rosi Campos, o clima das filmagens foi marcado por uma emoção que parecia estar à flor da pele.
- Todos que estavam no filme queriam muito estar lá. Isso criou um clima muito especial nas filmagens. Você se apaixona pela pessoa que ele foi. Foi muito emocionante.
O filme deve ser lançado em 2 de abril de 2010, quando o Chico faria 100 anos.
Emoção no jardim de Chico:
No último dia das gravações, Nelson Xavier teve uma crise de choro. Depois, foi para o jardim, sentou num banco e, talvez sem saber, faz o que Chico costumava fazer ali mesmo: apóia as mãos sobre as pernas e olha para o céu. "Essa cena foi emocionante. Era o jardim dele, as rosas dele".
Até o tempo deu uma forcinha
Em Uberaba fazia um frio horrível e o diretor Daniel Filho disse para ninguém se preocupar porque no dia seguinte faria sol. Não deu outra. Fenômeno parecido aconteceu em São Paulo, quando chovia muito forte em toda a cidade. Só não caiu um pingo no local da filmagem.
Visita inesperada em reunião espírita:
Segundo o diretor, teve uma filmagem de uma reunião espírita, em que, de repente uma senhora recebeu uma entidade. "Paramos a filmagem e esperamos a senhora se recompor".
Pomba branca mostra o caminho:
A atriz Renata Imbriani conta que, antes de sair para gravar começou a rezar pedindo proteção. De repente, uma pomba branca entrou na casa e parou bem na frente dela. "Ela só foi embora quando eu saí. Pensei: estou no caminho certo. O tempo inteiro senti uma energia muito forte e tranquilizadora".

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Perdoa as Nossas Dividas, Assim Como Perdoamos aos Nossos Devedores


Perdoa as Nossas Dividas, Assim Como Perdoamos aos Nossos Devedores

Quando pronunciamos as palavras “perdoa as nossas dividas, assim como perdoamos aos nossos devedores”, nao apenas estamos a espera do beneficio para o nosso coracao e para a nossa consciencia, mas estamos igualmente assumindo o compromisso de desculpar os que nos ofendem.

Todos possuimos a tendencia de observar com evasivas os grandes defeitos que existem em nos, reprovando, entretanto, sem exame, pequeninas faltas alheias.

Por isso mesmo Jesus, em nos ensinando a orar, recomendou-nos esquecer qualquer magoa que alguem nos tenha causado.

Se nao oferecermos repouso a mente do proximo, como poderemos aguardar o descanso para os nossos, pensamentos?

Sera justo conservar todo o pao, em nossa casa, deixando a fome aniquilar a residencia do vizinho?

A paz e tambem alimento da alma, e, se desejamos tranqüilidade para nos, nao nos esquecamos do entendimento e da harmonia que devemos aos demais.

Quando pedirmos a tolerancia do Pai Celeste em nosso favor, lembremo-nos tambem de ajudar aos outros com a nossa tolerancia.

Auxiliemos sempre.

Se o Senhor pode suportar-nos e perdoar-nos, concedendo-nos constantemente novas e abencoadas oportunidades de retificacao, aprendamos, igualmente, a espalhar a compreensao e o amor, em beneficio dos que nos cercam.

Francisco Candido Xavier. Da obra: Pai Nosso.
Ditado pelo Espirito Meimei.

Ação e reação ou causa e efeito?

AÇÃO E REAÇÃO OU CAUSA E EFEITO?
Waldehir Bezerra de Almeida
Revista Internacional de Espiritismo

NA ANÁLISE DA DOR, DEVEMOS ADMITIR QUE ALGUÉM ESTEJA SOFRENDO "PELA CAUSA" QUE ABRAÇOU, COM VISTAS AO SEU PROGRESSO ESPIRITUAL, E NÃO "POR CAUSA" DE UMA FALTA QUALQUER

O princípio de "Ação e Reação", conhecido como a Terceira Lei de Newton (Isaac Newton, Físico e Matemático Inglês - 1642-1727), tem o seguinte enunciado: A toda ação corresponde uma reação de igual intensidade e sentido oposto. De forma ortodoxa, e indiscriminadamente, esse princípio tem sido aplicado para justificar a razão do sofrimento do Espírito reencarnado em qualquer situação. Oportuno lembrar que o Codificador não usou desse raciocínio, não fez uso da Lei de Newton, e, sim, do axioma: não há efeito sem causa. Uma leitura superficial dos dois princípios poderá nos levar a conclusões erradas. Apliquemos, no caso do cego de nascença, os dois princípios, um de cada vez, e o leitor entenderá do que estamos falando.

Adotando o princípio da "Lei de Ação e Reação" (a toda ação corresponde uma reação de igual intensidade e sentido oposto), a situação do cego de Siloé deveria ser uma reação em sentido oposto a uma ação, no caso negativa. Teria cometido uma infração às Leis Morais do Criador. Mas vimos que não era o caso. Dessa forma, nem sempre podemos concluir que a dor seja uma reação.

O Mentor de Chico Xavier, Emmanuel, alerta-nos que é "imperioso interpretar a dor por mais altos padrões de entendimento. Ninguém sofre, de um modo ou de outro, tão-somente para resgatar o preço de alguma coisa. Sofre-se também angariando os recursos preciosos para obtê-la (...)". Com este entendimento é que devemos interpretar a situação do cego de nascença, que aceitou aquela condição para conquistar uma posição espiritual mais elevada. Se a dor corrige o passado e nos adverte no presente, também poderá estar construindo o nosso futuro. É a dor a serviço da evolução de todos nós, Espíritos imperfeitos.

Agora, aplicando o princípio não há efeito sem causa, à mesma situação, não resta dúvida de que encontramos no sofrimento daquele cego uma causa, que foi a sua avidez pelo progresso, seu desprendimento e amor à causa do Cristo. Permitiu-se nascer privado da visão para cooperar com a causa do Messias. A sua dor não era uma reação a nada, era a própria ação. Sofreu "pela causa" e não "por causa".

Como já dissemos, Allan Kardec adotou o princípio de causa e efeito e não de ação e reação para estudar e explicar as razões da dor e das aflições. Conhecia, sem sombra de dúvida, a Terceira Lei de Newton, mas não a usou na apreciação das coisas espirituais. Será que o "bom senso encarnado" percebeu que a lei do Físico Inglês não se prestava integralmente para a compreensão e esclarecimentos sobre as aflições? Entendemos que sim. O Mestre de Lyon trilhou com sabedoria, sem dogmatismo e com bom senso. Acompanhemo-lo neste texto:

"Os sofrimentos devidos a causas anteriores à existência presente, como os que se originam de culpas atuais, são muitas vezes a conseqüência da falta cometida, isto é, o homem, pela ação de uma rigorosa justiça distributiva, sofre o que fez sofrer aos outros. Se foi duro e desumano, poderá ser a seu turno tratado duramente e com desumanidade; se foi orgulhoso, poderá nascer em humilde condição; se foi avaro, egoísta, ou se fez mau uso de suas riquezas, poderá ver-se privado do necessário; se foi mau filho, poderá sofrer pelo procedimento de seus filhos, etc."

Observemos que teve o cuidado de alertar o seu leitor escrevendo as expressões "muitas vezes" e "poderá", em vários momentos, não afirmando categoricamente que a dor seja sempre uma punição. Continuemos.

"Não há crer, no entanto, que todo sofrimento suportado neste mundo denote a existência de uma determinada falta. Muitas vezes, são simples provas buscadas pelo Espírito para concluir a sua depuração e ativar o seu progresso. Assim, a expiação serve sempre de prova, mas nem sempre a prova é uma expiação. Provas e expiações, todavia, são sempre sinais de relativa inferioridade, porquanto o que é perfeito não precisa ser provado. Pode, pois, um Espírito haver chegado a certo grau de elevação e, nada obstante, desejoso de adiantar-se mais, solicitar uma missão, uma tarefa a executar, pela qual tanto mais recompensado será, se sair vitorioso, quanto mais rude haja sido a luta. Tais são, especialmente, essas pessoas de instintos naturalmente bons, de alma elevada, de nobres sentimentos inatos, que parece nada de mau haverem trazido de suas precedentes existências e que sofrem, com resignação toda cristã, as maiores dores, somente pedindo a Deus que as possam suportar sem murmurar."

Como conclusão, o Espiritismo não nos autoriza generalizar o sofrimento como sendo uma punição, conseqüência de erros cometidos. Léon Denis, um dos continuadores de Kardec, que muito bem compreendeu a verdadeira missão da dor, ensina: "Todos aqueles que sofrem não são forçosamente culpados em vida de expiação. Muitos são Espíritos ávidos de progresso, que escolheram vidas penosas e de labor para colherem o benefício moral que anda ligado a toda pena sofrida." E mais à frente: "Às almas fracas, a doença ensina a paciência, a sabedoria, o governo de si mesmas. Às almas fortes, pode oferecer compensações de ideal, deixando ao Espírito o livre vôo de suas aspirações até ao ponto de esquecer os sofrimentos físicos".

A causa do sofrimento não somente está no passado ou no presente, mas também no futuro. A dor-evolução não está corrigindo erros cometidos, mas construindo um porvir venturoso para o Espírito em evolução. Sabemos que muitos deles reencarnam em missão na Terra, com o objetivo de impulsionar o nosso progresso moral e científico. Tais Espíritos aceitam resignados, até mesmo com certa alegria, as adversidades e infortúnios de tal existência, por saberem que estão se adiantando na escala evolutiva (O Livro dos Espíritos, questão 178). Logo, sofrem as dores da evolução, aquela que vem de fora para dentro, ao contrário da dor-expiação, que vem de dentro para fora, pois é purgação.

A reencarnação não é um processo punitivo; é manifestação da misericórdia divina. Não reencarnamos somente por sermos devedores, mas, acima de tudo, porque a vida na matéria significa oportunidade de crescimento em todas as latitudes espirituais. A evolução é lei divina e, por isso, imperiosa. Sofremos, vez ou outra, pela causa que abraçamos e não somente por causa de alguma infringência às leis divinas.

Na apreciação das causas das dores e aflições por que passamos, nem sempre é correto adotar o princípio de "ação e reação", concluindo que a dor seja sempre uma reação oposta a uma ação ilícita. Os Espíritos Superiores nos ensinam que para todo efeito existe uma causa, mas não asseguram que o sofrimento seja sempre um efeito, pois no caso do cego de nascença, ele era isento de culpa. A causa da sua desdita existia sim! Estava no seu desejo de cooperar com a causa do Messias de Deus.

A despeito da nossa dificuldade de andar de braços com a dor, na condição de amiga, insistindo em nos conduzir aos píncaros da glória espiritual, esforcemo-nos para compreender, à luz da fé racional que o Espiritismo nos trouxe, a exortação de Jesus no Sermão do Monte, consolando os sofredores: "Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados".
* * *
Com esta mensagem eletrônica
seguem muitas vibrações de paz e amor

domingo, 22 de novembro de 2009

Sonho


Olá meus amigos, Jesus abençoe a todos, um bom final de semana de paz e de amor, que a luz do divino Mestre chegue em todos os corações.
Esta noite eu tive um sonho que me pertubou muito, principalmente, porque eu sabia que se tratava de um espirito desencarnado. Este sonho mostrou o quanto ainda eu estou atrasada espiritualmente, mas para vocês entederem tentarei narrar o sonho:
Estava caminhando nas ruas da minha cidade, embora eu acredite não ser no plano físico, mas algo muito parecido com a minha cidade no plano astral, porque as ruas eram parecidas e ao mesmo tempo tão diferentes. Havia muitos rostos, poucos eram os conhecidos, em um determinado momento do meu sonho, passei em um lugar onde estava uma pequena assembléia com um homem pregando, não registei a fala, nem se quer parei para ouvi-lo e ele desceu de algo que parecia um pubito e veio em minha direção, eu continuava andando, buscando um lugar para sair do meio daquelas pessoas, este homem falava muito próximo e me seguia rindo e dizendo se eu não tinha medo de atrair aquelas pessoas, pois eu tinha um bilho que denunciava que eu era encarnada, não sei porque isso me irritou muito, e eu perdi o equilibrio, chamando a irmã Maria Rita e pendindo para afastar aquele ser( euo chamei no sonho de demônio) não sei porquê o fiz, mas eu o fiz. E ele desapareceu, olhei em volta de onde eu estava, as nuvens do céu ficaram carregadas, e eu conscientemente sabia que era um sonho e pensei: meu Deus mande alguém para me ajudar, estou perdida, pensava em todas as pessoas que podiam morar perto daquele local (pois julgava ser aqui mesmo na minha cidade) e percebi no sonho que tenho muito poucos amigos encarnados e isto me deixou triste. No sonho eu pensava na minha casa, nos meus filhos e tentava voltar para lá, havia muita pertubação onde eu estava, muita solidão, uma amiga veio me ajudar e eu a perdi de vista no meio do caminho. A procurei e não achei. O mais interessante é que pensei na casa de uma amiga que já se encontra desencarnada, pensei na casa de minha ex cunhada e lembrei que ela não mais morava ali, aí foi que o sentimento de que eu estava completamente só se abateu em meu espírito, e eu acordei com esta sensação.

Apesar do sonho ser conturbado, a única coisa que realmente me deixou triste foi não ter passado no teste da paciência. E quero esclarecer aos meus irmãos que sempre tenho esse tipo de sonho e sempe estou caindo, ou pela falta de paciência ou pela curiosidade...

Muita Paz!

Convite de amigo


Peçamos ao Divino Senhor o poder de amar sem reclamações;

de servir sem recompensa;

de compreender os outros sem exigir compreensão para nós;

de obedecer-lhe aos Sublimes Desígnios;

de vencer as próprias imperfeições;

de abençoar os que nos perseguem;

de orar pelos que nos ferem ou caluniam;

de amparar aos que nos critiquem;

de estimular o bem, onde o bem se encontre;

de praticar a fraternidade legítima;

e de aproveitar todas as oportunidade que o tempo e a vida nos ofereçam para realizarmos o aprimoramento de nosso espírito imperecível.


Psicografado por Francisco Cândido Xavier pelo Espírito de Emmanuel
Mensagem extraída do livro "Agora é o Tempo " - Editora Ideal

sábado, 21 de novembro de 2009

16 – EM TUDO



Conflitos?

Entrega-te ao Bem e alcançarás harmonia.

Quedas?

Apóia-te no Bem para te reergueres.

Dores?

Confia no Bem e o alívio chegará.

Em tudo, cultiva o Bem, respeitando a vida em todas as dimensões..

Em qualquer circunstância, a consciência reta será sempre garantia de paz na alma.

SCHEILLA


Médium: Clayton B. Levy, do livro “NOVAS MENSAGENS DE SCHEILLA PARA VOCÊ”

Amargura


"Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem." - Paulo. (HEBREUS, 12:15)


Para bem servir ao Senhor, não é razoável marchemos ao longo do trabalho honroso à maneira de cooperadores lacrimosos e descontentes.

A mágoa, muitas vezes, traduz desconfiança e deslealdade.

O coração operoso e confiante nunca perde o otimismo, colocando-se, antes de tudo, à frente do infinito e da Eternidade.

Há dificuldades e problemas?

Prossigamos em serviço e o Mestre Divino oferecer-nos-á a solução.

Há sombras?

Lembremo-nos de que não existem nuvens eternas, porque o Centro da Criação é Luz imperecível.

Há quedas?

Estejamos convictos de que o reerguimento não se fará esperar.

O dever do trabalhador é continuar a tarefa que lhe foi conferida, tanto quanto a obrigação do servo fiel é marchar na realização do programa de quem lhe concedeu a bênção do serviço edificante.

Tenhamos em mente que, em favor do êxito geral de nosso esforço, é imprescindível o incessante combate às raízes de amargura no coração. Se brotarem livremente, serão venenosos arbustos, prejudicando a movimentação dos interesses coletivos de elevação e paz.

Guardemos reflexão e prudência, mas destruamos a amargura injustificável, para que não perturbemos a obra do Mestre e para que os nossos amados não se privem da graça de Deus.

(De "Vinha de Luz", de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Pai Nosso - Monsenhor Horta


Pessoal esse Pai nosso ditado pelo Espírito de Monsenhor Horta é umas das mais belas mensagens que já li na mnha vida, muitas vezes quando eu oro o Pai Nosso deixado pelo Mestre Jesus, sempre vem o Pai Nosso do Monsenhor a minha mente, está prece eu dedico a Miriam Machado de Oliveira, do blog Fina Arte que está precisando de nossas orações, muita paz para todos!

PAI NOSSO

Pai nosso que estás nos céus

Na luz dos sóis infinitos

Pai de todos os aflitos

Neste mundo de escarcéus

Santificado, Senhor

Seja teu nome sublime

Que em todo o universo exprime

Ternura, Concórdia e Amor

Venha ao nosso coração

O teu reino de bondade

De paz e de claridade

Na estrada da redenção

Cumpra-se o teu mandamento

Que não vacila nem erra

Nos céus, como em toda a Terra

De luta e de sofrimento

Evita-nos todo o mal

Dá-nos o pão no caminho,

Feito de luz, no carinho

De pão espiritual.

Perdoa-nos, Senhor

Os débitos tenebrosos

De passados escabrosos

De iniqüidade e de dor

Auxilia-nos também,

Nos sentimentos cristãos

A amar os nossos irmãos

Que vivem distantes do bem

Com a proteção de Jesus

Livra nossa alma do erro

Neste mundo de desterro

Distante da tua luz

Que o nosso ideal igreja

Seja o altar da Caridade

Onde se faça a vontade

De teu amor... Assim seja.

O Médium Francisco Cândido Xavier psicografou este lindo Pai Nosso ditado pelo Espírito José Silvério Horta (Monsenhor Horta) em uma das reuniões da Comunhão Espírita Cristã de Uberaba – Minas Gerais-Brasil.

Sêlinho


Recebi este Sêlo da amiga Maria Josè do blog Arca do Autoconhecimento.
1 - Seguir as regras.
2 - Levar o selo acima para identificar quem está, esteve ou estará na brincadeira.
3 - Completar as seguintes frases:

a) Eu já... que tudo na vida é passageiro (menos o motorista e o cobrador podemos enteder assim: Deus e Jesus???)
b) Eu nunca... deixarei de ser espírita.
c) Eu sei... que outras vidas nos aguardam.
d) Eu quero... vencer essa prova com dignidade.
e) Eu sonho... com uma existência de paz, amor e fraternidade para todos.

4 - Depois, indique 5 blogueiros para dar sequência à brincadeira.

Repasso para:

Irmãos Fraternos
Saiba História
Ninguém na multidão
Por uma vida melhor

Confia Sempre


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo, ainda que teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo.
Crê e trabalha.

Esforça-te no bem e espera com paciência.
Tudo passa e tudo se renova na Terra, mas o que vem do céu permanecerá.

De todos os infelizes, os mais desditosos são os que perderam a confiança em Deus e em si mesmos, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo.

Eleva, pois, o teu olhar e caminha.
Luta e serve.

Aprende e adianta-te.

Brilha a alvorada além da noite.
Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte.

Não te esqueça, porém, de que amanhã será outro dia.

Xavier, Francisco Cândido. Ditado pelo Espírito Meimei.

"Fora da Caridade Não Há Salvação
Caridade:
benevolência para com todos;
indulgência para com as imperfeições dos outros;
perdão das ofensa".

RESPOSTAS DO ALTO



Reconhecida a verdade de que Nosso Pai Celestial responde aos bons corações, através dos corações que se fazem melhores, não olvidemos a nossa possibilidade de servir na condição de valiosos instrumentos da Divina Bondade.

Nós que sempre somos tão apressados e tão pródigos no "pedir", lembremo-nos de que podemos também dar.

Auxiliemos a Divina Providência no abençoado serviço do intercâmbio.

Ninguém pode contar com uma fortuna, em valores amoedados, para encontrar a felicidade perfeita, mas toda vez que derramarmos o coração, em favor dos nossos semelhantes, semearemos a verdadeira alegria.

Todos podemos, em nome do Senhor, responder às rogativas dos que lutam e sofrem mais que nós mesmos.

Uma visita ao doente é sagrado recurso da fraternidade ao que suplica a assistência do Céu, em desespero.

A desculpa sincera é uma benção de alívio para quem sofre sob o peso da culpa.

Um gesto de carinho é uma plantação de simpatia na terra escura da alma que se arrojou aos precipícios da revolta ou da incompreensão.

Um sorriso amigo é uma resposta do bom ânimo e da amizade, refundindo as forças daquele que está prestes a cair.

Recorda que o Senhor espera por tua boa vontade e por teus braços, para responder com a paz e com a esperança aos que te cercam.

Ainda que tudo seja secura e aspereza em torno de teus pés, ama sempre.

Através da corrente viva do amor em teu coração, interpretarás a cooperação do Céu aos que te acompanham e receberás, constantemente, as respostas do Alto às tuas aflições e aos teus problemas.

De "Alma e Luz", de Francisco Cândido Xavier

Luz do Evangelho

Emmanuel – 1000 Respostas do Alto

13/11/2009


Tarde de autógrafo


LANÇAMENTO DO LIVRO ESPIRITISMO NA IMPRENSA
EM BENEFÍCIO DA RÁDIO RIO DE JANEIRO
DIA 24 DE NOVEMBRO ÀS 17 HORAS
LIVRARIA DA CIDADE SHOPPING UNIGRANRIO 2º PISO
AO LADO DA UNIVERSIDADE UNIGRANRIO
RUA PROFESSOR JOSÉ DE SOUZA HERDY Nº1216
BAIRRO 25 DE AGOSTO DUQUE DE CAXIAS

sábado, 14 de novembro de 2009

Carlos Baccelli e a Mediunidade

Carlos Baccelli e a Mediunidade
14/04/2009

A mediunidade deve ser encarada como um fruto natural da evolução da espécie humana. Quando mais evolução, mais sensibilidade, maior a capacidade de percepção mediúnica. É por meio dessa constatação que o médium Carlos Baccelli desenvolve em várias casas espíritas o seminário “Mediunidade”, mostrando a capacidade de interagir com os Espíritos como de fato ela é : um atributo do Espírito.

Amparado na segura orientação do Espírito de Odilon Fernandes, quando ele recomenda que “mediunidade é para servir, não para se aparecer”, Carlos Baccelli desmistifica a idéia de que “não há médiuns”, citando o próprio codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec. “Lembrando de Kardec, ele nos diz que todo aquele que sente num grau qualquer a influência dos Espíritos, é, portanto, médium”, observa Baccelli. “Mesmo aqueles que objetam que não são médiuns, que nada veem, nada escutam, tem de saber que a mediunidade diz respeito a todos .”
Segundo Baccelli, a mediunidade não é um privilégio. Todos nós podemos nos considerar portadores de faculdades mediúnicas, já que o Espírito (ou alma, se encarnado) é médium por natureza. “André Luiz nos revela que a mediunidade é exercida também no mundo espiritual, nas diversas esferas de um mesmo mundo”,ilustra o médium uberabense. “ o fenômeno transcende a forma física, já que um Espírito pode transcender a barreira das dimensões e se interrealcionar com outros Espírito”.

As principais obras que representaram as diferentes religiões estabelecidas sobre a crosta terrestre também são mediúnicas.Baccelli lembra que a Bíblia é um livro mediúnico, um repositório de fenômenos.Zoroastro era médium. Sócrates se referia a seu daimon ou espírito particular e se inteirou do fenômeno no templo do deus Apolo, em Delfos.Buda era dotado de forças medianímicas e, à semelhança de Jesus, venceu as forças contrárias de um mundo hostil com amparo da Espiritualidade Superior.

Também Maomé se isolava no Monte Ira, caía em êxtase e contempla o Espírito de Gabriel. Apartir dessa contemplação, ditou o Alcorão para seu secretário. Antes mesmo de Allan Kardec, a Terra, lembra Baccelli, teve grandes medianeiros, como o vidente Emmanuel Swedenborg,Suécia, e Andrew Jackson Davis, o qual pressentiu a chegada da Revelação Espírita.

Em 31 de março de 1848, Davis revelou: “Sinto que passou por mim uma brisa suave, prenunciando novos acontecimentos para a humanidade”. Foi nesse dia que as irmãs Fox começaram as comunicações com o Espírito de Charles Rosma, preparando o terreno para as mesas gigantes e o advento do Espiritismo. “O diálogo entre os dois planos da vida se fortaleceu neste momento”, sentencia Baccelli.

Com kardec, aos grandes questionamentos da humanidade.Finalmente, bruxos, pitonisas, feiticeiros, “estranhos”, videntes, curadores, foram entendidos. A partir de sua origem mediúnica, a Doutrina Espírita é fruto justamente do intercâmbio entre os dois planos da vida. “Quem nega a mediunidade na Doutrina Espírita, está negando a história da mediunidade na própria religião”, afirma o médium. Para Carlos Baccelli, a Igreja Católica Apostólica Romana está repleta de médiuns, tanto na sua história como nos dias de hoje. O livro Mediunidade dos Santos. De Clóvis Tavares, mostra a biografia dos santos da Igreja, todos eles marcados por amplos e intercâmbio mediúnico.Finalmente, há, em Chico Xavier, a exemplificação máxima desse intercâmbio. “ Chico é a verdadeira Revelação da Revelação; ampliou e solidificou a Doutrina Espírita”, observa o médium. Na opinião de Baccelli, a Doutrina Espírita, no dinamismo que a caracteriza, não pode ser trancada dentro de uma ortodoxia que a pretende ver encerrada em “dogmas” ultrapassados – justamente porque Kardec estabeleceu que a Doutrina Espírita iria andar de passo com a ciência e segui-la. E um maior entendimento da mediunidade só é conseguido junto a bem formados grupos de estudos e de vivência cristã.

Vale lembrar a assertiva de Odilon Fernandes: “O centro espírita é o lar da mediunidade”. E desenvolver a mediunidade, em essência, significa desenvolver o próprio Espírito, recomenda o médium de Uberaba. “É desenvolver o amor, a renúncia, a fraternidade, a benevolência, a indulgência, virtudes, enfim”.

Carlos Baccelli lembra que Chico sempre dizia que era fácil ver confrades perguntando e querendo saber como “desenvolver a mediunidade”, mas era difícil ver alguém perguntando como desenvolver a bondade, o perdão, o cultivo dos valores do coração, e não apenas a inteligência.

Vale destacar que uma percepção do mundo espiritual só é possível por dois fatores: a mediunidade (incluindo aí o animismo, capacidade de sentirmos o que vem de nosso próprio Espírito, conhecimentos oriundos de vidas passadas) e a reencarnação. Para Kardec, a fé raciocinada advinda do conhecimento doutrinário vem combater o materialismo em seu próprio campo de atuação.

E a mediunidade, dentro da Doutrina Espírita, no traz a certeza da imortalidade da alma. “Não adianta que a idéia da sobrevivência se enraíze em nossa consciência, sem Evangelho no coração”, pontua Baccelli. “Senão, o que fazer com nossa própria imortalidade?”

Outro aspecto importante da mediunidade é entendê-la como veículo de aprimoramento, autoconhecimento e cura, mas sempre para servir, “nunca para aparecer”, como destaca o doutor Odilon. “É de dentro da casa espírita que o mundo espiritual palpita. Por aquelas portas deve sair a mensagem e o exemplo dos Espíritos”, recomenda Baccelli.

Mesmo com as dificuldades inerentes à vivência da mediunidade, já que no dizer de Emmanuel “mediunidade no presente é débito no passado”, as responsabilidades do médium na Doutrina Espírita transcendem as próprias carências do médium. Quando se trata de mediunidade, a recomendação de Chico Xavier é estudo e trabalho, pois o médium é chamado a uma responsabilidade maior. “ Chico deu exemplos de trabalho e de estudo. Trabalhou muito. Recebeu mediunicamente a obra Paulo e Estevão no porão da Fazenda Modelo de Pedro Leopoldo, Minas, onde trabalhava. E sempre em horários de lanche ou de folga” , ilustra Baccelli. O médium lembra ainda que muitos médiuns querem apenas as rosas advindas do resultado de sua produção mediúnica, mas não querem os espinhos. “ E isso é impossível”, observa.

“Muitos chegam até a gente dizendo: ‘ ah, sou médium, mas minha mediunidade não sai do lugar’, Ora, doutor Odilon sempre lembra que a mediunidade só sairá do lugar com as pernas do próprio médium”, finaliza Baccelli, mostrando que a ação do medianeiro no bem, no Evangelho, na caridade, no estudo e no auto-aprimoramento é imprescindível para melhores para melhores resultados no campo do intercâmbio entre encarnadas e desencarnadas.


Revista Espiritismo e Ciência digitada em 6/2/09

Revista Espírita - divulgando

Descárgala haciendo click en:
http://www.apoyofraternosinfronteras.org/revistalasiembra/revista.pdf

Transe Mediúnico

CARLOS A. BACELLI-Excelente!

Por amor a Deus



"Servindo de boa-vontade ao Senhor..." - PAULO (Efésios, 6:7)

Não importa que o filho-problema te arranque lágrimas de aflição se o abraças na condição da criatura eterna que Deus te deu a encaminhar.

Não existe sofrimento na abnegação, em favor de pais incompreensivos, se a eles te consagras na certeza de que os encontraste por benfeitores a que Deus te guiou, a fim de que os entendas e auxilies no reajustamento necessário.

*

Não há dor no sacrifício por alguém no lar ou no grupo social se temos nesse alguém a presença de uma criatura difícil que Deus colocou em nosso caminho, para que lhe sirvamos de apoio.

*

Não existem lágrimas nos encargos de auxílio ao próximo, bastas vezes inçadas de aversões gratuitas, se as acolhemos por serviço que Deus nos entrega, no qual se nos apagam os impulsos da personalidade, a fim de que nos transformemos em auxílio aos semelhantes.

*

Aceita a responsabilidade em tuas mãos ou as provas que o tempo te trouxe por trabalho que Deus te confia, trabalhando e servindo, compreendendo e auxiliando aos outros, por amor a Deus e mais depressa te desfarás de quaisquer sombras do passado, liquidando débitos e culpas, em serviço de amor a Deus, porque o amor a Deus se te fará luz no coração, fazendo-te viver ao sol do porvir.

(De "Ceifa de Luz", de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel)
Recebi este selinho dos amigos: Maria José do blog Arca do AutoConhecimento (http://arcadoconhecimento.blogspot.com) e do Unkman do blog Estudando o Espiritsimo
Obrigada pelo carinho e atençao de todos, repasso para:

1. Cris, Fazendo a diferença
2. Saiba história
3. Nectan refelxões
4. Fazendo meu caminho

E tantos outros que aportam aqui e permancem anônimos.
paz e luz para todos

Aviso





DIMENSÕES DA VERDADE

A mensagem espírita, que agora rutila no teu espírito transformado em farol de vivo amor e sabedoria, é o remédio-consolo para as tuas dores no lar, o antídoto e o tratado de armistício para o campo de batalha onde esgrimas com armas da fé e da bondade, apaziguando, compreendendo, desculpando, confiando em horas e dias melhores para o futuro...

Joanna de Ângelis – psicografia de Divaldo P. Franco



Olá meus irmãos, muita paz para todos. Ando sumida deste espaço por um motivo: o final de ano letivo, por isso estou aqui para pedi desculpas a todos e se não pegar os selinhos oferecidos é porque estou sem tempo para postar. Obrigada pelas visitas e muita paz para todos!

domingo, 8 de novembro de 2009

A prece de Cipriana


(Parte final do livro "No Mundo Maior")

Senhor Jesus,
Permanente inspiração de nossos caminhos,
Abre-nos, por misericórdia,
Como sempre,
As portas excelsas
De tua providência incomensurável...

Doador da Vida,
Acorda-nos a consciência
Para semearmos ressurreição
Nos vales sombrios da morte;

Distribuidor do Sumo Bem,
Ajuda-nos a combater o mal
Com as armas do espírito;

Príncipe da Paz,
Não nos deixes indiferentes
À discórdia
Que vergasta O coração
De nossos companheiros sofredores;

Mestre da Sabedoria
Afugenta para longe de nós
A sensação de cansaço
À frente dos serviços
Que devemos prestar
Aos nossos irmãos ignorantes;

Emissário do Amor Divino,
Não nos concedas paz
Enquanto não vencermos
Os monstros da guerra e do ódio,
Cooperando contigo,
Em tua augusta obra terrestre;

Pastor da Luz Imortal,
Fortalece-nos,
Para que nunca nos intimidemos
Perante as angústias e desesperos das trevas;

Distribuidor da Riqueza Infinita,
Supre-nos as mãos
Com teus recursos ilimitados,
Para que sejamos úteis
A todos os seres do caminho,
Que ainda se sentem minguados
De teus dons imperecíveis;

Embaixador Angélico,
Não nos abandones ao desejo
De repousar indebitamente,
E converte-nos
Em teus servidores humildes,
Onde estivermos;

Mensageiro da Boa Nova,
Não permitas
Que nossos ouvidos adormeçam
Ao coro dos soluços
Dos que clamam por socorro
Nos círculos do sofrimento;

Companheiro da Eternidade,
Abençoa-nos as responsabilidades e deveres;
Não nos relegues à imperfeição
De que ainda somos portadores!

Dá-nos, amado Jesus, o favor de servir-Te
E que o Supremo Senhor do Universo Te glorifique
Para sempre.
Assim seja!...

Um Sublime Peregrino

Um Sublime Peregrino